lufa-lufa - tabacaria da oficina municipal do teatro, coimbra - 25.01.2011

Lufa-Lufa 01

Lufa-Lufa 02

Lufa-Lufa 03

Lufa-Lufa 04

Lufa-Lufa 05

Lufa-Lufa 06

Lufa-Lufa 07

Lufa-Lufa 08

Lufa-Lufa 09

Lufa-Lufa 10

Lufa-Lufa 11

Na última terça-feira do mês de Janeiro, dia 25, os Lufa-Lufa - "projéctil musical de concertina e percussão" - como se caracterizam no seu blog, estiveram na Tabacaria da Oficina Municipal do Teatro. No blog d'O Teatrão, na apresentação do espectáculo já se levantava um bocadinho do véu do que aí vinha. Pois então, "O duo de concertina e percussão do Porto dá a conhecer o disco de estreia, «Foledad», num espectáculo com muito sentido de humor, um cenário próprio e uma história paralela que «transporta o espectador por paisagens imaginárias»". Sim, é isto. Foi isto! Aliás, tudo podia acontecer.
Ricardo Santos Rocha (concertina) e Carlos Adolfo (percussão) são os artistas responsáveis por nos levarem nesta maravilhosa viagem. O meio de transporte escolhido foi o avião (sim, andámos mesmo de avião). Chegámos lá, sentámo-nos e logo ouvimos o Comandante Zéfiro que nos deu as boas vindas. "Bem bindos a bordo. Fala-bos o comandante Zéfiro. O aparelho onde se encontram possui duas saídas de emergência: uma à bossa frente e outra nas bossas costas. A primeira não funciona e a segunda tem manha. Pá, esta porra, num está a funcionar. Por baixo de cada cadeira encontra-se um fantástico colete salva-vidas, em caso de des-pres-su-ri-za-ção, uma máscara cairá automaticamente sobre as bossas cabeças. Neste bôo é permitido fumar, pois o aparelho está equipado com um sistema de bentilação-fole. Durante o mesmo será transmitido o espectáculo "Foledad" pelo projéctil musical Lufa-Lufa e serbida uma sandes que certamente fará a delícia de todos os presentes e uma pontinha de inveja aos ausentes. No entanto, não é permitido lançar qualquer tipo de objectos pelas janelas, santa paciência! Pedimos o favor que desliguem os telemóveis, bem como os portátiles. O comandante Zéfiro e toda a sua tripulação desejam-lhe um óptimo bôo". Foi assim que nos acolheram, dando inicio ao concerto com "Foledad”, tema que dá nome ao álbum. Desfilaram por todo o disco, tocando todas as faixas presentes no mesmo, sendo elas: “Orango Tango”, “Serra”, “Noite”, “Malu”, “Maresias”, “Boulevard”, “Rusga”, “A Queda” e a “Comédia”. Tocaram ainda “A Pedra” que não faz parte deste trabalho discográfico. De realçar que durante o espectáculo - mais perto do fim - fomos invadidos por uns seres um pouco estranhos (podem ver nas fotografias) que nos trouxeram ainda mais alegria por estarmos ali. Quando eles se preparavam para abandonar o palco, o público ainda não (totalmente) satisfeito quis mais e o comandante Zéfiro encarregou-se de trazer novamente os Lufa-Lufa para mais uns temas.
Só nos resta concluir: que viagem maravilhosa!

2 comentários:

Fernando Borracha disse...

Estão fantásticas, outra bonita "reportagem"

adriana boiça silva. disse...

Obrigada, Fernando! *